_O descarte indevido de resíduos sólidos e suas consequências
_O descarte indevido de resíduos sólidos e suas consequências

O descarte incorreto de resíduos sólidos pode provocar muitos transtornos e prejuízos. Parece óbvio, mas muita gente ainda joga lixo no vaso sanitário.

De acordo com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), é muito comum encontrar todo o tipo de resíduo na rede de esgoto – restos de comida, fraldas descartáveis, absorventes higiênicos, embalagens de remédios, comprimidos, produtos de beleza, calcinhas e cuecas. E não para por aí: alguns resíduos sólidos encontrados nas redes de esgoto são bastante inusitados. Entre eles estão bolas, brinquedos, cápsulas de bala de revólver e até animais mortos – que horror!

As consequências do descarte indevido

O plástico é um problema mundial. Estima-se que até 2050 nossos oceanos terão mais plástico do que peixes.

A gente espera que isso não aconteça, mas o fato é que o meio ambiente está em perigo. Quando descartamos itens como canudos, sacolinhas e embalagens plásticas incorretamente, seja nas ruas ou nas redes de esgoto, eles acabam entupindo bueiros e a tubulação, aumentando o risco de enchentes e poluindo os rios e os mares.

Além disso, o plástico também é responsável pela morte da fauna aquática.

Muitas vezes os animais ingerem esse material ou até morrem sufocados com o lixo que flutua nas águas. Inclusive, o plástico já faz parte da cadeia alimentar e, de acordo com o documentário Plastic Tide, quem consome frutos do mar com regularidade ingere cerca de 11 mil pedaços de microplástico anualmente.

Segundo relatórios da ONU, calcula-se que cerca de 80% da poluição marinha tem origem na terra. Metais pesados, pesticidas e esgoto, entre outros poluentes, são levados até os litorais através dos rios. Em relação ao lixo plástico, 13 milhões de toneladas chegam até os mares todos os anos, em sua maioria proveniente de águas fluviais, que levam o lixo das cidades e do campo até a praia.

Leia mais em: Os 8 maiores poluentes da água.

O Museu dos Encanadores

Para evitar problemas causados pelo descarte indevido de resíduos sólidos, como entupimento e refluxo da rede de esgoto – especialmente no período de chuvas – o cuidado com as redes domésticas deve ocorrer com frequência. Por isso é importante sempre se certificar de que a tubulação está em bom estado e que não há conexões clandestinas – mas a principal orientação é não jogar lixo nos vasos sanitários, pias, ralos e terrenos baldios.

E não são só os resíduos sólidos os grandes vilões das redes de esgoto. Estima-se que cerca de 190 litros de óleos são descartados indevidamente a cada hora.

Um projeto feito pela unidade de Rio Claro da BRK Ambiental reuniu peças que foram encontradas e retiradas nas redes de esgoto da cidade. Somente em Rio Claro foram coletadas mais de 115 toneladas de resíduos sólidos – entre eles objetos como fitas cassete, brinquedos, garrafas de bebida, dentaduras e até uma bola de boliche. Com o objetivo de alertar a população, a unidade criou o Museu dos Encanadores. A ideia é fazer um trabalho preventivo de conscientização da população e evitar, de modo indireto, casos de entupimento das redes de esgoto.

Leia mais em:
Por dentro do ciclo do saneamento